Arquivo X: Eu Quero Acreditar

Os tempos mudaram. Fox Mulder está barbudo e vive isolado da civilização em meio aos seus recortes de jornal e o pôster “Eu Quero Acreditar”. Dana Scully está brigada com Deus, que aparentemente abandonou um garotinho, seu paciente terminal. O tratamento com células-tronco é uma realidade, não é mais ficção científica. George W. Bush é o presidente que faz todas as teorias conspiratórias do mundo parecerem plausíveis. Google e BlackBerry são ferramentas que fazem parte do trabalho da médica que um dia já foi agente do FBI. Os fãs de “Arquivo X”, a série de maior sucesso dos anos 90, estão desacreditados. Quando eles dizem que “Lost” não é um negócio original, ninguém acredita. Sobre “Arquivo X”, o que ouvimos são frases como “nunca ouvi falar”, “não sei do que se trata”, “nunca vi um episódio inteiro” ou “ah, então você acredita em ETs?”, vindas das mesmas pessoas que consideram “Lost” genial. Ou seja, finalmente todos nós nos tornamos párias como Fox Mulder, renegados pela sociedade. Viramos peça de museu.

Neste contexto, a volta de “Arquivo X” no formato cinema já é bastante ousada. Tirando o sucesso de David Duchovny e sua nova série “Californication”, não há no mercado uma boa justificativa para este retorno. Se você levar em consideração que “Arquivo X: Eu Quero Acreditar”, a segunda incursão da dupla nos cinemas, é um grande episódio dramático da série, então podemos considerar o filme de Chris Carter um tiro no escuro. Tão ousado quanto a série sempre foi.

“Eu Quero Acreditar” mantém a cronologia do mundo pós-fim da série, ou seja, se passa seis anos depois e encontra Mulder e Scully envelhecidos, desacreditados, desiludidos, deprimidos, tocando suas vidas separadamente. O sequestro de uma agente do FBI e o envolvimento de um padre pedófilo vidente no caso levam uma nova dupla de agentes vividos pelos fracos Amanda Peet e Alvin ‘Xzibit’ Joiner (o rapper que apresenta “Pimp My Ride”, que vergonha de casting) a pedir ajuda ao casal. Ignore o fato de nada de muito esquisito ter acontecido nos últimos seis anos para que alguém tivesse tomado essa atitude antes. Apesar de relutarem, Mulder e Scully aceitam a missão. Mulder, aliás, parecia rezar todo dia para que alguém o chamasse logo, porque ele abraça o caso com facilidade e logo Scully já está tendo que lhe dar uns beliscões, para fazê-lo acordar pra realidade. O velho debate entre a crença e o ceticismo retorna, junto com os fantasmas dos protagonistas: Mulder continua buscando sua irmã desaparecida e Scully agora lida com o trauma do filho que entregou para a adoção.

Mas onde estão os aliens e os conspiradores do governo? Em algum lugar lá fora, mas não neste filme. Em 2008 todos os extraterrestres de Hollywood foram recrutados por Steven Spielberg pra fazer gracinha com o Indiana Jones. E por isso este filme do “Arquivo X” é tão ousado. Chris Carter, criador da série, estréia na direção de cinema sem muita criatividade, fazendo o bom feijão com arroz da série. É um episódio grande, sim, recheado com muitas DRs (discussões de relacionamento) entre Mulder e Scully. Um episódio de suspense, que nem tem grandes questões monstruosas ou paranormais, mas traz muito dos conflitos dramáticos que tornavam os personagens tão interessantes. Isso quer dizer que, infelizmente, apenas os fãs vão conseguir aproveitar a trama, assim como as pequenas referências espalhadas pelo filme (a agenda do celular de Mulder só tem nomes de diretores da série). O espectador comum, aquele que prefere “Lost”, vai continuar preferindo.

Fosse um episódio simples, “Eu Quero Acreditar” seria um dos bons, densos e complexos como eles costumavam ser. Como filme a coisa não se sustenta, principalmente pela necessidade de se resgatar o clima e o interesse da série para um novo público. Parece que Chris Carter está pouco se importando com esse público novo (o que eu acho ótimo) e prefere se divertir com os amigos de antigamente. Mas o tiro pode sair pela culatra e um fracasso retumbante nas bilheterias pode enterrar as pretensões cinematográficas da nossa querida série. Isso até algum J.J. Abrams resolver fazer um remake. Opa, ele já fez! Sua nova série sobre agentes lidando com casos paranormais estréia logo mais, numa TV a cabo perto de você.

4 comentários em “Arquivo X: Eu Quero Acreditar

  1. Eu realmente estou chocada com essa nova empreitada de JJ Abrams. Que descaramento! Daqui a pouco ele vai dizer que foi uma idéia genial!Eu adoro LOST, sou fã, mas, Arquivo x tem seu lugar no meu coraçãozinho.

    Curtir

  2. \”Sobre \”Arquivo X\”, o que ouvimos são frases como \”nunca ouvi falar\”\”aí vc foi cri-cri. Nunca vi um fã de Lost que nao tenha ouvido falar de Arquivo-X. Aliás, acho difícil até quem não acompanha séries não ter ouvido falar.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s