Um abrigo para a tempestade

O temporal mal começou a castigar o bairro e o semáforo já dava sinais de que ia pifar. Marcelo conferiu se as portas e as janelas do bar estavam devidamente fechadas, deixando apenas uma das janelas semiaberta para observar lá fora. Por ela, ele enxergou o semáforo com o amarelo piscando. Naquela hora da noite, … Continue lendo Um abrigo para a tempestade

Gato em telhado de amianto quente

Américo estava suando, com dificuldade para respirar e evitava olhar para o vendedor. Não queria ver seu rosto refletido naquelas lentes vermelhas horríveis. _Você tem aquele aparelho de desbloquear canais?_Você quer o básico ou o completo?_Qual a diferença?_O básico tem tudo. O completo tem muito mais… se é que você me entende. Américo não entendeu. … Continue lendo Gato em telhado de amianto quente

O fantasma da canção passada

Depois de tomar um banho de cerveja, a pasta de músicas internacionais estava mais pesada do que de costume. As páginas de plástico estavam grudando e Vitória tinha dificuldades de virá-las. Não que fizesse muita diferença, ela já sabia tudo que havia ali. Folhear aquelas páginas era apenas um disfarce que fazia o tempo passar … Continue lendo O fantasma da canção passada

O monstro do rio Pinheiros

Janaína pegou Aline pelo braço e foi empurrando a amiga até o metrô, conduzindo-a por um mar de latas amassadas, garrafas quebradas, poças diversas e gente bêbada caída por toda parte. _Amiga, vamos embora, vai chover._Calma, dá tempo de tomar mais uma latinha._Não dá não. Não quero pegar metrô molhada. Vamos._Ai, que chata. Ano que … Continue lendo O monstro do rio Pinheiros

Os embalos de sábado à noite dos mortos-vivos

Caio estava com preguiça de sair, mas a perspectiva de ficar em casa contemplando o vazio da existência e ainda acompanhar toda a humanidade se divertindo horrores nos Stories parecia um destino pior que a morte. Ele tinha o videogame, mas ficar online no sábado à noite era um atestado de derrota. Tomar tiro de … Continue lendo Os embalos de sábado à noite dos mortos-vivos

Bichos escrotos e onde habitam

O dia estava ensolarado lá fora, com muita coisa para ser observada na rua assim que seus olhos se acostumassem com a claridade. Mano se posicionou, como de costume, no limite da escuridão da boca de lobo. Um olhar mais atento naquela direção poderia identificar dois pequenos olhos brilhantes se destacando nas sombras, mas como … Continue lendo Bichos escrotos e onde habitam

O massacre da serrinha elétrica

Desde que Sérgio notou o barulho da serrinha pela primeira vez, nunca mais conseguiu ignorá-lo. Veio do nada, numa tarde ensolarada de sábado, enquanto ele pesquisava caixas de pizza sextavadas na internet com a janela do quarto aberta, e o atingiu em cheio. A princípio, Sérgio achou que era problema no computador, algum cabo mal … Continue lendo O massacre da serrinha elétrica